O começo é phoda…

Você acabou de se formar e tirar sua malfadada carteira está com uma mala cheia de sonhos e uma vontade danada de trabalhar. Esse é o começo. Mas não é fácil. Eu te compreendo pois depois de mais de uma década de advocacia eu estou passando pelo mesmo perrengue que você está passando agora.

Depois de ter uma carteira de clientes relativamente tranquila e de quebra uma assessoria internacional para uma atacadista inglesa , com o nascimento da minha filha mais nova eu resolvi jogar tudo para o alto e me dedicar a família. Para acompanhar meu marido – funcionário público estadual – me mudei de Estado e acabei parando em uma cidadela no interior do Rio de Janeiro (depois de cansar de tantos assaltos e balas).

Agora que minha filha já não necessita tanto de meus cuidados e que eu já estou quase enlouquecendo na vida de Amélia, está na hora de retornar. Estou no começo. No zero. Beggining. Estou assim como você: com uma mala cheia de aspirações mas certamente com um otimismo menos aguçado devido aos anos de prática forense.

Vão algumas dicas de planejamento de alguém que já trilhou o caminho, mas que terá que percorrê-lo mais uma vez. Sucesso com base no golpe de sorte é muito improvável nos dias de hoje, com a concorrência gritante em nosso setor. Então arregasse as mangas, ou melhor, prepare a massa cinzenta e PLANEJE!

1. Concorrência não é motivo para boicote.

Várias coisas passam pela mente de um profissional que está entrando no mercado, e uma delas é definitivamente a concorrência. Existe concorrência? Absolutamente! Coloque uma coisa na sua cabeça: são mais de 30 mil novos advogados “vomitados” no mercado todos os anos e se você quer vencer vai ter que ter um diferencial!

A concorrência é desleal, mas não caia na tentação do preço baixo. Ação de alimentos à 250 real? Pára tudo! Você acha mesmo que conseguirá tocar uma ação de maneira correta e dar ao cliente a verdadeira atenção que ele merece ganhando 250 real?

A tática do preço baixo é suicida, ainda mais para o profissional liberal. No comércio ela é compreensível, pois como o consumidor via de regra procura o menor preço para que esse preço seja alcançado as empresas estão investindo em máquinas que substituam as pessoas, que são caras, ficam doentes e têm filhos. A perda de qualidade é inevitável!

Mas para o advogado a perda da qualidade pode significar a perda definitiva de um cliente e/ou de um segmento do mercado. Assim, se você quer se destacar da concorrência, encontre um diferencial.

2. Analise suas capacidades

Tudo muito bom tudo muito bonito. Mas você sabe quem é você? Você sabe que tipo de profissional você é? Aconselho dar uma boa olhadela no espelho e fazer uma auto-análise. Pegue papel e caneta e anote seus pontos fortes, seus pontos fracos, tudo!

Analise quais as suas aptidões e quais as áreas são mais adequadas para você. Antes de analisar o mercado no qual você trabalhará é necessário que faça uma análise da sua capacidade profissional para saber até onde você pode ir.

E continue estudando, principalmente JURISPRUDÊNCIAS! Por favor, tenha o site do seu Tribunal, do STJ, do TRF, do TRT, do TST e do STF nos seus favoritos. Esqueça do BBB, se esqueça das mulheres ou homens e dos tititis de novelas! Tem um tempo sobrando? VISITE O SITE DO TRIBUNAL E VEJA AS JURISPRUDÊNCIAS. É sua melhor escola e sua melhor fonte de argumentação.

3. Analise seu mercado

Pouco importa se o seu sonho é trabalhar com direito internacional se você não está em um pólo exportador de alguma coisa! Quem determina qual será o seu ramo de atuação principal é o seu mercado.

Analise bem os clientes em potencial, converse com advogados mais experientes na praça e tire suas conclusões sobre qual o tipo de advocacia é mais adequada ao seu local de trabalho.

4) Faça propostas atrativas ao cliente

Trabalhe em suas propostas: que tipo de assessoria você pretende prestar? Uma vez definido o nicho e o tipo de assessoria e consultoria, parta para as propostas. Tenha tudo previamente feito: contratos de prestação de serviços, recibos, programas de cálculos de atualização, procurações.

Quando buscar um cliente, ou quando um cliente vier até você, tenha tudo pronto para que possa fazer uma proposta centrada, possível e atraente.

Lembre-se: o cliente procura a melhor relação preço x qualidade. Leve isso em consideração quando formular sua proposta de trabalho.

FONTE: http://vidadeadvogada.blogspot.com/

Anúncios

Sobre César.

Liberdade é o direito de fazer tudo o que a lei permite. Montesquieu

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s