Médicos são condenados por morte de pacientes no interior de SP
PUBLICIDADE

ELIANE TRINDADE
ENVIADA ESPECIAL A TAUBATÉ

Terminou por volta das 21h30 quinta-feira o júri de três médicos acusados por homicídio doloso (intencional) em Taubaté (140 km de SP). Eles foram condenados a 17 anos e seis meses de prisão, podendo recorrer em liberdade. O julgamento começou na segunda-feira.

Com camisetas, amigos apoiam médicos durante júri em Taubaté
Taubaté (SP) tinha central de rins para ricos, diz promotor

O urologista Rui Noronha Sacramento, o nefrologista Pedro Henrique Torrecilhas e o neurocirurgião e legista Mariano Fiore Júnior foram considerados culpados por utilizar diagnósticos falsos de morte encefálica para extrair rins de quatro pessoas em 1986. Eles negam.

O promotor Marcio Augusto Friggi de Carvalho definiu o trabalho do grupo como uma central de remessa de rins para pacientes ricos de São Paulo.

Miguel da Silva, Alex de Lima, Irani Gobo e José Faria Carneiro, vítimas de traumas ou aneurismas cerebrais, tiveram seus rins extirpados em 1986, em Taubaté.

Os réus não responderam por tráfico de órgãos, mas por apressar ou contribuir para a morte dos pacientes. A Promotoria usa laudos do Conselho Regional de Medicina, que, segundo o promotor, concluíram que não há elementos suficientes para atestar que os pacientes estavam com morte encefálica.

FONTE: http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/994135-medicos-sao-condenados-por-morte-de-pacientes-no-interior-de-sp.shtml

Anúncios

Sobre César.

Liberdade é o direito de fazer tudo o que a lei permite. Montesquieu

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s